Degustação de Chás gourmet e estilo de vida.

 
 

13/12/2012

Chás Dr. Oetker, e algumas considerações...

Há um certo tempo atrás a Dr. Oetker entrou em contato comigo pois queriam enviar alguns de seus chás para fazer um canal de relacionamento com seus consumidores. A comunicação deles, no meu caso em particular, foi confusa e falha mas ao final, os chás chegaram até minhas mãos após um longo mês.

Dos seis tipos de chás que me enviaram, posso dizer que os blends são um pouco desbalanceados, pecando no excesso de um ou outro ingrediente que se torna dominante e o sabor fica prejudicado, tendendo para muito azedo, ou muito adstringente, ou muitas misturas para um sabor sem personalidade, e etc. Consigo imaginar que se eles dosassem de forma diferente alguns de seus componentes, os blends sairiam melhores - baseada na minha experiência, esta é a minha opinião sincera.

A coisa boa dessa vivência com a marca, foi a surpresa ao ver este chá no kit:

Chá Vermelho da Dr. Oetker

O Chá Vermelho comercializado pela marca é na verdade um Pu-erh e, a princípio, o nome traduzido me confundiu pois Pu-erh é chamado de chá preto na China. Ainda preciso escrever um artigo sobre este tipo de chá, mas posso adiantar que é um dos chás mais complexos que existem no mercado. Claro que esta versão em sachê é uma versão abreviada da coisa, mas achei louvável eles estarem comercializando-a. A dominância do sabor lembra muito terra úmida, aquele ar de floresta, e a sua coloração é escura e densa, lembrando muito o café. Ele possui corpo do começo ao fim, mas esta versão da Dr. Oetker é mais sutil, contendo somente um aroma inicial. Para mim já é um grande começo para quem busca chás melhores no mercado nacional.

Para quem gosta de chás de sachês pela praticidade e ainda preza por alguma qualidade, acho que vale a pena pagar um pouco a mais. Esse Chá Vermelho é o mais caro da Oetker. Os da Celestial Seasoning (que também já me enviou chás para degustação) são mais caros (alguns reais a mais que a média) e são equilibrados em quesito sabor. Os da Casino (encontrados na rede Pão de Açúcar) são ótimos também, e acredito que hoje em dia existam mais marcas por aí (faz anos que não compro chás de sachê e posso estar um pouco desatualizada).

No geral, o que temos de lembrar é que quanto mais apurarmos o paladar e exigirmos produtos de qualidade, mais as empresas se esforçarão para atender nossas necessidades. Todos têm o direito de uma boa xícara de chá a custo acessível.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 comentários:

  1. Outro dia experimentei o pu-erh da Dr. Oetker e para mim, que não sou fã do chá envelhecido, ficou um pouco mais agradável. Ainda aproveitei e acrescentei uma folhinha de hortelã natural para dar uma quebrada, confesso que ficou interessante. :) Beijos, Yuri!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Márcia! Eu sou suspeita, viu... quanto mais velho, melhor, eheheh... mas nada como personalizar pra gente curtir um chazinho, né?
      Beijão!!!

      Excluir
  2. Também estou recebendo os chás e infusões da Dr. Oetker. As infusões de frutas são muito pesadas no hibisco (nem tô abrindo mais as embalagens novas), as outras, com ervas, tenho achado decentes.
    Ainda não provei os chás, recebi segunda-feira, tô curioso pra provar o vermelho e o branco.
    Em português e espanhol parece que se estabeleceu chamar pu-erh de chá vermelho, já escrevi a respeito: http://chatodoschas.blogspot.com.br/2012/10/o-que-e-cha-vermelho-ou-nao.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ederson!
      Pois é, o santo hibisco... o que custava usar menos, não é mesmo? Os de ervas eu sou um tanto exigente desde que comecei a plantar e fazer minhas infusões, mas achei os da Celestial bem balanceados.
      Depois eu fui ver e parece que o nome de chá vermelho também apareceu como emagrecedor e pegou, né? Que coisa...
      Beijos!
      Yuri

      Excluir
  3. Fiquei preocupado quando eu li em um sítio que o chá vermelho pode ser feito de duas formas: oxidação natural (lenta) e oxidação química, para acelerar o processo. Como distingüir de que forma o chá vermelho foi oxidado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thiago, os chás vermelhos tradicionais chineses, geralmente são caros, ele se apresentam em blocos, como tijolos ou discos ou em folhas soltas (que seriam inteiriças, não trituradas). A maioria vêm de Yunnan, na China. Estes são os mais tradicionais e difíceis de se imitar.
      O texto que vc leu é difícil de se entender o que realmente ela quis dizer. Pois apesar de haver alguma oxidação neste tipo de chá, o principal é a fermentação que pode ser feita de forma rápida e mesmo assim ainda natural, ou de forma mais lenta (geralmente são os Pu-erhs mais caros). E fica a dúvida se ela ainda quis dizer se existe um terceiro método que atropela o primeiro que citei e faz a coisa mais instantânea ainda. Vou tentar escrever algo sobre os Pu-erhs em breve para ver se ajuda algo.
      Eu diria que qualquer chá vermelho que não seja proveniente da China, já seria suspeito de utilizar químicos para acelerar esse processo de fermentação. A indústria se chás bem comerciais pretere o lucro à qualidade e tradição. Eu já vi muitos chás sendo vendidos para finalidades estéticas e medicinais que tem qualidade fraquíssima. Por isso sempre recomento tomar chá pelo simples prazer de se tomá-lo e não pelo seus benefícios à saúde que até hoje não foram comprovados cientificamente, apenas sugeridos.
      Abraços!
      Yuri

      Excluir

INSTAGRAM @chaarteevida

Escola de Chá Embahú

Comentários Recentes

Receba as atualizações por email

Este símbolo indica conteúdo em língua inglesa
♦♦ Este símbolo indica conteúdo em língua francesa
♦♦♦ Este símbolo indica conteúdo em língua japonesa
Este símbolo indica conteúdo em língua espanhola


Arquivo do blog

Siga-me!

InstagramFlickrFacebookFeed RSSFlickrTwitter Feed RSS
 
| Início | Sobre a Autora | Entre em Contato | Escola de Chá Embahú |

Design e Fotos por Yuri Hayashi.
"Chá & Poesia" - Todos os direitos reservados, 2008®, 2009®.
"Chá, Arte e Vida!" - Todos os direitos reservados, de 2010® a 2016®.